A cárie na primeira infância é uma condição de saúde bucal prevalente que demanda a atenção e a intervenção adequadas dos profissionais de saúde. Embora seja desejável que as crianças sejam encaminhadas ao dentista por volta de um ano de idade para orientações e cuidados bucais, muitas vezes é o pediatra o primeiro profissional a entrar em contato com a família e a abordar essa questão vital. Portanto, é crucial que os pediatras estejam devidamente informados e atualizados sobre os principais problemas que afetam a saúde bucal das crianças, assim como as estratégias de prevenção. A cárie dentária é uma doença comum na primeira infância, e o uso regular de dentifrícios fluoretados desempenha um papel significativo na sua prevenção.

Nos dias 9 e 10 de setembro de 2011, foi realizada a 5ª Jornada Gaúcha de Odontologia Pediátrica em Porto Alegre, um evento de suma importância para a discussão dos benefícios e riscos associados aos dentifrícios fluoretados na primeira infância. O Dr. Danilo Blank, renomado especialista na área representando a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), compartilhou os resultados de uma pesquisa online realizada com membros da SBP acerca de suas recomendações quanto ao uso de dentifrícios fluoretados em crianças. Embora a taxa de resposta (7,2%) exija cautela ao generalizar os resultados, ficou evidente a falta de consenso entre os participantes. Dos respondentes, 452 (38%) não recomendavam o uso, 75 (6,3%) recomendavam a partir da erupção do primeiro dente, 245 (20,6%) recomendavam a partir dos dois anos de idade, e 418 (35,1%) recomendavam a partir dos seis anos de idade.

Esses resultados suscitam preocupações acerca da falta de convicção de muitos pediatras brasileiros quanto aos benefícios proporcionados pelos dentifrícios fluoretados à saúde bucal das crianças. Além disso, pode-se inferir que exista uma preocupação infundada de que o uso desses dentifrícios antes dos seis anos de idade possa acarretar prejuízos à saúde das crianças.

Com base na sólida evidência científica disponível, este artigo tem como objetivo destacar que todas as crianças, independentemente da idade, devem fazer uso de dentifrícios fluoretados. A utilização de dentifrícios com baixa concentração de fluoreto aumenta significativamente o risco de cárie na dentição decídua e não oferece proteção adequada contra o desenvolvimento de fluorose esteticamente indesejável nos dentes anteriores permanentes.

A compreensão do uso apropriado de dentifrícios fluoretados na prevenção da cárie na infância é essencial para os pediatras, que desempenham um papel fundamental na promoção da saúde bucal desde cedo. É importante que eles estejam atualizados sobre as melhores práticas baseadas em evidências científicas, a fim de orientar as famílias sobre os benefícios do uso regular desses produtos. Estudos científicos têm demonstrado consistentemente que o fluoreto é eficaz na prevenção da cárie dentária, fortalecendo o esmalte dentário e revertendo estágios iniciais da doença. Os pediatras devem considerar fatores individuais ao recomendar o uso de dentifrícios fluoretados e buscar atualização constante para fornecer orientações precisas aos pais e cuidadores. Sua atuação nessa área contribui para a promoção de uma rotina de cuidados bucais saudável desde a infância, resultando em benefícios a longo prazo para a saúde oral das crianças.

Deixe um comentário

Abrir bate-papo
1
Faça sua cotação agora mesmo.
Escanear o código
Olá 👋
Bem vindo ao site da Rotta Digital. Como podemos te ajudar hoje?